JOÃO APOLINÁRIO

MORSE DE SANGUE

1955
EDIÇÃO DE AUTOR
LIVRO
PT
181055

Stock: Indisponível

MORSE DE SANGUE

Coloque o cursor sobre a imagem para fazer zoom

outras imagens do produto

Detalhes

LIVRO (EX). Publicação original portuguesa Edição de Autor / Lito Invicta-Porto. Edição em capa mole, (18 x14 cm), com 54 páginas e limitada a 500 exemplares. Capa e ilustrações de Sérgio Guimarães.

 


João Apolinário foi um escritor e jornalista português, nascido a 18 de Janeiro de 1924 e falecido a 22 de Outubro de 1988. Também é recordado por ter sido, juntamente com o ensaísta António Pedro, um dos fundadores do TEP (Teatro Experimental do Porto). Embora não estivesse filiado a nenhum partido politco, foi sempre uma voz de oposição do antigo regime ditatorial de Salazar, um facto que lhe trouxe muitos dissabores pessoais e que o levou mesmo à prisão de Peniche. Foi lá que escreveu este pequeno livro “Morse de Sangue”, o seu primeiro. A sua poesia iria mais tarde ser musicada pelo seu filho, João Ricardo, um dos principais músicos juntamente com Ney Matogrosso, do grupo de culto da MPB, os Secos & Molhados.
Na verdade em 1963 João Apolinário vê-se como obrigado a exilar-se com a família no Brasil devido não só às dificuldades que tinha para sustentar a família mas também pelos seus ideais de vida. No Brasil volta a ser uma voz activa, mas a ditadura militar brasileira que alcançou o poder em 1964 vai-lhe trazer outros problemas.
Quem não teve problemas de intregação foi seu filho João Ricardo. Em 1971 foi o principal fundador da mítica banda os Secos & Molhados que, dois anos mais tarde, iria gravar já com Ney Matogrosso, um dos melhores álbuns de sempre da MPB. Neste, e nos dois discos seguintes, João Ricardo vai musicar sete poemas do seu pai João Apolinário.