HALLYDAY, JOHNNY

OLYMPIA 64 (RARE BLUE LABEL)

1964
PHILIPS
Vinil LP
FR
P77987L

Stock: Disponível

45,00 €

OLYMPIA 64 (RARE BLUE LABEL)

Coloque o cursor sobre a imagem para fazer zoom

outras imagens do produto

Detalhes

VINIL - SLEEVE (VG+ / VG+). Edição original francesa da Philips. Registo muito, muito raro, usado e em bom estado geral. Algum envelhecimento, ver imagens.

 


Um dos mais prestigiados intérpretes da música francesa nasceu em Paris a 15 de Junho de 1943 e foi baptizado como Jean-Philippe Léo Smet. Em 1960, no início da sua actividade como cantor, adoptou o nome artístico de Johnny Hallyday e editou até ao seu falecimento, a 5 de Dezembro de 2017, mais de oitenta LP's de originais entre os quais vários ao vivo e diversas colectâneas. Conquistou 18 discos de platina e 39 discos de ouro, estimando-se que tenha vendido em todo o mundo, especialmente francofono, 100 milhões de discos. Em finais de 1959 assinou pela editora Vogue e em Março de 1960 editou o seu primeiro EP que teve de imediato um enorme impacto na juventude francesa. "Souvenirs, Souvenirs" e "T'aimer Follement" (versão dum original de Dalida) foram os registos de sucesso desse primeiro disco. Em poucos anos Hallyday tornou-se o rei do rock francês lançando inclusive a moda do twist e do madison em terras gaulesas. Em 1965 casou-se com a cantora Sylvie Vartan que ao longos das décadas surgiu ocasionalmente a seu lado nos espectáculos e nos discos. Em 1966 conheceu pessoalmente Jimi Hendrix e Noel Redding que foram os convidados na sua própria digressão, dando-os assim a conhecer ao público francês. Anos mais tarde, em 1972 com a digressão Johnny Circus, formou o grupo Ange que o acompanhou musicalmente em várias ocasiões. Durante a década de 70, com o yé-yé e os hippies a passar de moda, Hallyday foi-se adaptando aos tempos com um reportório onde surgia também a música Soul e os Blues. Um dos discos mais marcantes dessa década foi o LP "Vie", muito constestário e ecologista. O tema "Jésus-Christ" em que a figura de Deus surge como um hippie, foi mesmo banida das rádios e da televisão. Apelando para uma maior liberdade para o rock'n' rol, em Junho de 1974 actuou numa penitenciária na Suiça devido às constantes recusas do governo francês em permitir tais eventos nas prisões. Em 1975 foi gravar a Memphis (terra natal do seu ídolo Elvis Presley) o LP "Rock A Memphis" e acompanhou-o nessas gravações o lendário Jerry Lee Lewis. Durante o resto da década e até 1985 foi um constante corropio de gravações e espectáculos. Dois factos marcantes na década de 80: em Março de 1984 surge num programa especial da televisão francesa "Les Enfants du Rock à Nashville" em dueto com alguns dos seus ìdolos americanos; Carl Perkins, Tony Joe White e Emmylou Harris. Em Janeiro de 1985 foi vitima de uma síncope em palco, facto que o levou a ter uma vida pessoal e artística mais regrada. No entanto não deixou de fazer espectáculos batendo recordes de afluência entre os artistas franceses. Célebres ficaram os seus concertos em Las Vegas em 1996, no Stade de France em 1998 e junto à Torre Eiffel em 2000 que juntou perto de 800.000 espectadores, (foi este mesmo número de fãs e admiradores que voltaram para a sua despedida a 9 de Dezembro de 2017).

 


A1. Oh ! Cette Nuit (Such A Night)
A2. Les Guitares Jouent (Surfin' Hootenanny)
A3. Quand Je L'ai Vue Devant Moi (I Saw Her Standing There)
A4. Je T'écris Souvent
A5. J'Abandonne Mes Amours (Packin' Up)
A6. Rien Que Huit Jours (Forty Days)
A7. Tu N'as Rien De Tout Ça (You're The Devil In Disguise)
A8. Non, Non, Non, Non - Je Ne Veux Plus Te Blesser (Baby Don't You Weep)
B1. Excuse-Moi Partenaire (Cuttin In')
B2. Memphis
B3. Pour Moi La Vie Va Commencer
B4. Ma Guitare
B5. Da Dou Ron Ron (Da Doo Ron Ron)
B6. Shout