FUTEBOL CLUBE DO PORTO

CAMPEÃO 1977/78 - A HISTÓRIA DE UM TÍTULO

06/1978
QUADRANTE NORTE DISCOS
Vinil LP
PT
FCP17/3

Stock: Disponível

17,50 €

CAMPEÃO 1977/78 - A HISTÓRIA DE UM TÍTULO

Coloque o cursor sobre a imagem para fazer zoom

outras imagens do produto

Detalhes

VINIL - SLEEVE (EX / EX). Edição original portuguesa da Emissora Quadrante Norte. Registo raro, usado e em excelente estado.

 


São poucas as edições no formato LP a descrever a história de um titulo de futebol, como acontece neste caso em concreto, pois quase sempre os grandes feitos futebolísticos eram editados e guardados para a posteridade no formato de um EP, (uma edição mais pequena e fácil de guardar). Mas esta tem uma razão muito forte; o FCP andou até à última para levar de vencida o seu eterno rival, o Benfica, num jejum que durava há 19 anos! A duas jornadas do fim o Porto recebe nas Antas o Benfica e só lhe bastava um empate para ser campeão (tinha melhor goal-average). No entanto só perto do fim conseguiu empatar (1-1) e decidiu mesmo o campeonato e, a prometida edição deste disco pela Rádio Quadrante Norte foi mesmo para a frente. Há quem diga que este registo simboliza a “Grândola Vila Morena” do futebol nacional, pois foi a partir daqui que se acentuou a hegemonia do FCP. Basta pois olhar para a capa e contracapa para se perceber mais alguma coisa. Embora na altura o Presidente do Clube seja o Dr. Américo Sá, ao lado dele já está a fotografia do Director do Departamento de Futebol, que é nem mais nem menos que Jorge Nuno Pinto da Costa. O treinador era já o consagrado José Maria Pedroto e alguns dos jogadores da altura continuam a ser conhecidos hoje em dia por outros motivos (casos de Octávio, António Oliveira e Rodolfo), e, alguns ainda são bem recordados por imensos portistas (casos de Seninho, Fernando Gomes, Freitas, Murça, Gabriel e Duda). Já não estava em 1977/78 um dos mais carismáticos guarda-redes do clube azul, Tibi (tinha sido substituído nesta época pelo Fonseca), mas surge na contracapa o homem que o eternizou com a frase “Tá lá dentro Tibi e agora não adianta chorar!”. Falamos nem mais nem menos que o radialista Gomes Amaro, que embora tenha nascido em Portugal, foi para o Brasil com 3 anos e voltou de lá para os Estúdios da Quadrante Norte como relator desportivo com um sotaque e uns ditos à boa maneira do país irmão. A ele se deve muito a vitalidade deste documento discográfico e continua a ser uma voz lembrada pelos muitos associados e simpatizantes do F.C. do Porto.

 


A1. A História do Título do Campeonato Nacional de Futebol (1ª Parte)
B1. A História do Título do Campeonato Nacional de Futebol (2ª Parte)